Vereadores de Jataizinho discutem propina pela internet. Gaeco tá na cola

Do portal TudoIbiporãcorrupção

Membros do Ministério Público do Estado do Paraná e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) investigam possível caso de corrupção envolvendo o Hospital São Camilo, de Jataizinho, no norte do Paraná.
Formulada em agosto de 2014, a denúncia partiu dos vereadores Alex Antônio Gomes de Faria (PRB) e Maurílio Martiellho, o Bidu (PSD). O caso envolve o repasse de dinheiro público ao hospital e posterior distribuição de parte daqueles recursos ao prefeito Élio Batista da Silva (PDT) e alguns vereadores.
Em 27 de março de 2014, o vereador Fábio de Morais Polônia (PMN) havia dito que os responsáveis pelo Hospital São Camilo devolveriam R$ 12 mil por mês do repasse feito pela prefeitura. Segundo ele, o dinheiro seria distribuído para o prefeito Élio Batista (R$ 5 mil) e aos vereadores Laércio Fernandes (R$ 2 mil) e Fábio de Morais (R$ 5 mil).
Já em 9 de abril, Fábio Morais revelou que, incluindo ele próprio, outros quatro vereadores de Jataizinho estavam levando R$ 2 mil cada um: Jorge dos Santos Pereira (PPS), Laércio Fernandes Quitério (PTB), Adilson Gonçalves da Silva, o Dil (PDT) e Cícero Aparecido Guimarães (PDT), o Gordo.
Já os R$ 2 mil destinados ao vereador Anilton Murari (PTC) eram repassados para Bruno, filho de Élio Batista da Silva, uma vez que o prefeito “pega 5 mil direto do médico Luiz Sato (responsável pelo Hospital São Camilo), comenta Bruno de Morais.
A denúncia apresentada ao Ministério Público, em Ibiporã, e ao Gaeco, em Londrina, resulta de conversas entre os vereadores Alex Faria e Fábio de Morais, por meio da rede social. (leia mais)

Deixe uma resposta