Sercomtel pede apoio e consegue um #TamoJunto

Pelegrini: solicitando apoio a Sercomtel

Na reunião entre os prefeitos da Amepar, ocorrida de manhã no Instituto Agronômico do Paraná, o gerente Administrativo-Financeiro da Sercomtel Participações, Carlos Pelegrini, foi pedir apoio em nome da empresa que passa por sérias dificuldades. Os prefeitos disseram o famoso #TamoJunto.

“A Sercomtel não é somente uma empresa de Londrina. Ela é de todos os paranaenses. Tem papel fundamental na economia estadual e como âncora para o desenvolvimento tecnológico de diversos municípios, por isso a urgência na mobilização de todos frente a possibilidade de cassação das licenças da operadora pela Anatel”, disse Pelegrini.

Para o prefeito de Centenário do Sul e presidente da Amepar, Luiz Nicácio, a Sercomtel é um instrumento importante de desenvolvimento tecnológico regional e sua manutenção é imprescindível para a ampliação e fortalecimento dos municípios que compõem grande parte de cidades do Paraná. “Nosso objetivo agora é formalizar este apoio por meio da criação de um manifesto com a assinatura de todos os prefeitos membros da Amepar, demonstrando o nosso apoio nesta luta”, disse.

Mas, mais uma vez, os prefeitos comentaram que quem deveria ter ido lá na reunião falar sobre a Sercomtel é o prefeito Marcelo Belinati, o ausente mais citado da manhã.

10 comentários em “Sercomtel pede apoio e consegue um #TamoJunto

  • 27/10/2017, 19:47 em 19:47
    Permalink

    Conheço Pelegrini desde seu começo na Sercomtel. Menino esforçado e trabalhador. Aproveitou as oportunidades que a empresa lhe deu. Estudou e aperfeiçoou-se. Sempre engajado nas causas sociais. O Brasil precisa de mais exemplos como este. Votei nele no passado. Se for novamente candidato. Terás meu apoio e voto!!! Continue na luta por esta querida empresa amigo!!!!

    Resposta
  • 28/10/2017, 06:39 em 06:39
    Permalink

    Prefeito terceirizou a tarefa, infelizmente!

    Resposta
  • 28/10/2017, 06:50 em 06:50
    Permalink

    Me lembro do Pelegrini em 2006 que fez um discurso corajoso e emocionante na Câmara Municipal de Londrina defendendo bravamente a Sercomtel enquanto nós funcionários lotavamos as galerias com faixas e cartazes. Foi um discurso histórico que ficou marcado na memória de todos que estavam lá. Depois do discurso do Pelegrini os vereadores arquivaram definitivamente aquele projeto que era contra a empresa. Sinto orgulho em ver ele novamente defendendo com essa mesma coragem e empenho. Parabéns rapaz.

    Resposta
  • 28/10/2017, 10:24 em 10:24
    Permalink

    Assim não dá Marcelo, os diretores da Contact center só viagem, deve estar sobrando dinheiro?

    Resposta
  • 28/10/2017, 10:54 em 10:54
    Permalink

    Os funcionários vão abrir do crédito mensal de celular que possuem na Sercomtel Celular?
    Todo mês eles tem 70 reais para usarem grátis no celular.

    Resposta
  • 28/10/2017, 11:21 em 11:21
    Permalink

    Já ví esse cara na TV e em reuniões defendendo muito a Sercomtel, tenho certeza que se todos os funcionários lá vestissem assim a camisa e lutassem por sua empresa possivelmente ela estaria em outra situação.

    Resposta
  • 28/10/2017, 12:39 em 12:39
    Permalink

    Proponho que todos funcionários revejam seus ordenados . Afinal, qdo tudo vai bem aumenta. No contrário, como é caso, devem rever os custos com a Folha para manter o emprego. Vai ser o caos quase mil desempregados em Londrina no começo de 2018. Então, servidores da Sercomtel aceitem 50% de salário para cobrir o rombo de R$ 5.5 milhões mês. Demissão de todos cargos comissionados e apenas empregado da empresa na direção.

    Resposta
    • 28/10/2017, 16:30 em 16:30
      Permalink

      Que piada, os competentes servidores de carreira deixaram a empresa chegar no buraco que está e a culpa é de meia dúzia de comissionados? Alto lá! Sempre estiveram na empresa, passaram dezenas de diretores e comissionados, presidentes e a culpa é só deles né!?! Grande parte da culpa é também desse monte de concursado ganhando fortunas e que não aceitam fazer um esforço a mais que já ameaçam ou entram com ações trabalhistas contra a empresa. De um total de quase 450 funcionários 300 estão com ações na justiça do trabalho requerendo diversas coisas, algumas beiram o absurdo. O caminho é fechar e mandar essa turma pra iniciativa privada. Que venha logo o leilão, quanto menor o número de funcionários públicos melhor.

      Resposta
  • 28/10/2017, 15:38 em 15:38
    Permalink

    Parabéns Pelegrini, sempre lutou pelas causas dos funcionários e agora para essa grande empresa Sercomtel. Não devemos perder, estou com VC eu acredito nela. Parabéns amigo.

    Resposta
  • 06/11/2017, 09:53 em 09:53
    Permalink

    2006 foi um marco histórico. Logo após o chefe do executivo bater o martelo para vender a empresa a qualquer custo marcamos uma reunião na Câmara e ao chegar lá encontrei o Pelegrini, Tazima e o Turini (outro grande companheiro). Imediatamente começamos a montar uma estratégia, que culminou com grande mobilização dos funcionários, a presença importante do Popenda (presidente do SINTTEL/PR) que liberou verba do fundo de greve para patrocinar algumas ações e o discurso impressionante do Pelegrini, que contribuiu para que os vereadores mudassem de opinião, pois naquele momento a empresa era viável. E está realidade foi muito bem demonstrado ( pelo Marquês, Paulinho, Edilson, Pellegrini e outros companheiros) a comissão de funcionários da COPEL que estavam aqui para informar que a Estatal não tinha mais interesse na sociedade. Mas, infelizmente o que vimos a seguir foi a continuação do festival de ingerência política, com a nomeação de assessores, diretores e gerentes apadrinhados sem o devido conhecimento em Telecomunicações. O resultado foi um processo lento de sucateamento da SERCOMTEL, já que alguém tinha sofrido uma grande derrota política, e não possuía argumentos para explicar a gana de vender uma empresa que, volto a frisar, naquele momento ainda era viável.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: