Deputada Gleisi Hoffmann cotada para assumir ministério

do blog Politicamente

A bolsa de apostas em Brasília aponta para a possibilidade da deputada federal do Paraná, Gleisi Hoffmann, assumir um ministério no governo Lula. Nesta quinta-feira (7), ela se reúne com o presidente Lula para definir o destino político.

Conta uma boa fonte de Brasília, que Gleisi poderá optar entre a Justiça e a Casa Civil. O encontro faz parte do planejamento do presidente da República de promover uma reforma ministerial já em janeiro de 2024 — como uma correção de percurso do governo.

A saída de Flávio Dino da pasta da Justiça é dada como certa, já que ele deve ser nomeado para o Supremo Tribunal Federal. Já o titular da Casa Civil, o ministro Rui Costa, está na mira da reforma. O que se comenta é que ele pode ir para a Petrobras, no lugar de Jean Paul Prates, cuja gestão não estaria agradando Lula.

Como já ocupou a Casa Civil no governo de Dilma Rousseff, as apostas indicam que Gleisi pode retornar ao ministério. Diz a fonte do Blog Politicamente, que para ela seria mais fácil colocar em prática a missão de articular com o Congresso Nacional e fazer a roda do governo girar, na parte administrativa. A interlocução com ministros das Cortes superiores, secretários de segurança de todo o Brasil e com a Polícia Federal, tão necessária para o titular da Justiça, seria uma tarefa mais distante do perfil de Gleisi.

A provável ida dela para a Esplanada dos Ministérios traz reflexos imediatos. O primeiro deles, é a saída da presidência nacional do PT. Lula já estaria estudando nomes para sucedê-la no comando da legenda. Outra provável consequência é na corrida por uma possível vaga ao Senado Federal — através de eleição suplementar que seria convocada pela Justiça eleitoral em caso de cassação do mandato do senador Sergio Moro.

Gleisi já admitiu que estaria disposta à concorrer ao cargo caso haja vacância por ordem da Corte Eleitoral. E aceitando qualquer um dos ministérios, ela abriria mão deste desejo. Imediatamente, dois nomes surgem dentro do PT para disputar internamente a eventual eleição ao Senado: Zeca Dirceu, que apesar de propagar aos quatro cantos a intenção de virar senador, ainda não conseguiu convencer e decolar; o outro é o presidente do PT do Paraná, o deputado Arilson Chiorato que estaria disposto a dar o upgrade na carreira política.

Compartilhe
Leia Também
Comente

4 Comments

  1. Bernardo

    Tudo indica que o Ministro da Justiça será o Lewandoswki.
    Ele estava com Lula na Arábia Saudita.
    Tem alinhamento completo com o meio jurídico nacional.

  2. Genildo

    Onde se lê “correção de percurso do governo”, entenda-se CAGADAS, se bem que substituir alguém por incopetencia nomeando-a para a Petrobras não dá pra dizer que é propriamente uma “correção de percurso”.
    O negócio é manter a “cumpanheirada” empregada e com bons salários, independentemente da competencia.

  3. Décio Paulino

    Com a saída do ministro Dino, Lula deveria manter a qualificação do chefe do Ministério da Justiça. Levandowski tem dois as qualificações para exercer o cargo, mas intelectualmente e politicamente há um nome ainda melhor: Sílvio Luiz de Almeida. O atual ministro dos Direitos Humanos é reconhecido escritor, professor universitário e advogado. Portanto, tem toda a qualificação para exercer o cargo de ministro da Justiça. E com uma vantagem para o presidente Lula: como Dino, o dr. Sílvio Luiz de Almeida não se intimida com os agressivos parlamentares bolsonaristas. O ministro Sílvio de Almeida tem os levado invariavelmente à lona em todos os embates em que os enfrenta no parlamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Buscar
Anúncios
Paçocast
Anúncios