100 dias – Paraná corta gastos e mantém avanços em educação saúde, segurança

O texto abaixo foi enviado ao blog (e possivelmente para outras mídias) pela Agência de Notícias do Governo.

Como este blog é mais democrático que a somatória do Putin, Fidel e Geisel juntos, vamos a ele:

Nos primeiros 100 dias desta segunda gestão de Beto Richa, o Governo do Estado contratou 5.981 novos professores, repassou R$ 20,2 milhões para manutenção das escolas, entregou obras em hospital, novos leitos de UTI, equipamentos para unidades de saúde. Além disso, disponibilizou R$ 100 milhões para os municípios e botou para funcionar novos equipamentos, no valor de R$ 59 milhões, que aumentam a produtividade no embarque de grãos pelo Porto de Paranaguá. Nas rodovias, há hoje dez frente de trabalho de duplicação.

“O Estado está ativo no atendimento à população e terá ainda mais capacidade de investimentos com as medidas que adotamos para cortar gastos e aumentar as receitas públicas”, afirmou Beto Richa nesta quinta-feira (9). “Garantir investimentos necessários à população é o objetivo das medidas de austeridade. Saímos à frente. O Paraná foi o primeiro a tomar essas providências, agora também adotadas por outros estados e, inclusive, o governo federal”, disse.
“Vamos continuar com os ajustes que estamos fazendo desde o primeiro ano de mandato. O objetivo é economizar R$ 1 bilhão nos gastos de custeio ao longo de 2015”, completou.
Desde o início do governo, Beto Richa reduziu e procurou o incremento de receitas. As medidas que se completam agora nos projetos em curso na Assembleia Legislativa fazem das já tomadas nos 18 decretos assinados em 1º de janeiro para melhoria da gestão e controle de gastos.
Em um ano, o governo reduziu em mais 24% o número de servidores comissionados. Em março de 2014, o estado tinha 4.248 funcionários em cargos de confiança, de livre nomeação. Em 2015, esse número caiu para 3.223. A economia é de R$ 4,3 milhões mensais.
O governo já extinguiu mil cargos comissionados, cinco secretarias também foram extintas ou unificadas, cortou ainda 20% dos gastos de custeio e os carros de representação e fez este ano um contingenciamento de R$ 11 bilhões no orçamento. 
EDUCAÇÃO – As medidas de austeridade neste ano não impedem a continuidade das ações e atendimento nas principais áreas. Na educação, por exemplo, só em 2015 foram contratados 5.981 novos professores para a rede estadual de ensino. Com isso, chega agora a 17.672 o número de professores e pedagogos contratados nos últimos quatro anos. Foram repassados R$ 20,2 milhões do Fundo Rotativo para todas as escolas estaduais comprarem materiais de consumo do dia a dia e contratarem pequenos reparos.
Também foram investidos R$ 15,2 milhões para a compra de 2.864 toneladas de alimentos da primeira remessa da merenda escolar. Em março começaram, também, as entregas dos produtos da agricultura familiar e dos alimentos congelados nas escolas. A Secretaria da Educação assinou 128 contratos com cooperativas e associações de produtores que vão fornecer os alimentos. Neste ano serão investidos R$ 45 milhões na compra de produtos da agricultura familiar.
SAÚDE – Na saúde, as ações nos primeiros três meses ampliam o atendimento à população. Por exemplo, foi entregue o prédio anexo do Hospital São Vicente de Paulo, em Guarapuava. A estrutura, no valor de R$ 3,1 milhões, foi totalmente custeada pelo governo estadual, e abriu espaço para mais 49 leitos.
Com o apoio do governo, o Hospital Regional João de Freitas, de Arapongas, no Norte do Estado, inaugurou mais 20 leitos de UTI para atendimento adulto. Foram investidos R$ 1,7 milhão na compra dos equipamentos da nova ala. Está previsto também o repasse de mais R$ 2 milhões em equipamentos para reforçar a estrutura do hospital.
Guarapuava e mais 19 municípios da região Centro-Oeste receberam ônibus para os consórcios intermunicipais de saúde. Todas as regionais de saúde receberam 1,8 mil computadores e equipamentos para informatizar todas as salas de vacina.
Os hospitais de Campo Largo, Campina Grande do Sul, São José dos Pinhais e Araucária ganharam 271 novos leitos de UTI da rede pública nos últimos quatro anos. Com a ampliação, as redes Paraná Urgência e Mãe Paranaense contam com 810 leitos em Curitiba e região metropolitana – 482 na RMC e 328 na capital.
MUNICÍPIOS – Só nos primeiros três meses de 2015, o governo já disponibilizou aos municípios paranaenses mais de R$ 100 milhões para obras de pavimentação, compra de veículos e construção de escolas, unidades de saúde, calçadas, ciclovias. Os recursos são do Sistema de Financiamento dos Municípios (SFM).
Um dos destaques foi o início das obras de revitalização da Orla de Caiobá, em Matinhos, Litoral do Paraná. Autorizadas pelo governador Beto Richa em 23 de janeiro, obra era aguardada há 15 anos e se concretiza com investimentos de R$ 7,2 milhões, financiados pelo governo estadual.
PORTO E RODOVIAS – Hoje, ao longo do Anel de Integração há dez frentes de trabalho de duplicação de importantes rodovias do Paraná. São serviços de drenagem, terraplanagem, pavimentação, construção de pontes e viadutos.
As obras e serviços integram o maior programa de implantação de pistas duplas da história do Estado, que soma investimentos de R$ 1,9 bilhão, com recursos do Estado e das concessionárias. Atualmente cerca de 391,3 quilômetros de rodovias estão sendo duplicados e já foram entregues mais de 40 quilômetros duplicados.
A maior obra em andamento é a duplicação 231 quilômetros da BR-376, entre Ponta Grossa a Apucarana, uma antiga reivindicação da população e que foi antecipada em dois anos a partir de negociação do governo estadual com a concessionária Rodonorte. O investimento somente nessa obra será de R$ 1 bilhão.
No Porto de Paranaguá, o escoamento da safra começou com ganho de 33% na produtividade do corredor de exportação, graças aos novos shiploaders, adquiridos pelo governo estadual, por R$ 59 milhões. “Após conseguirmos ordenar a descarga dos grãos, equilibrar o fluxo de caminhões e zerar as filas, investimos na modernização e repotenciamento do corredor de exportação do Porto de Paranaguá”, disse Beto Richa. O corredor não recebia investimentos desde 1999.
SEGURANÇA – A Secretaria da Segurança e Administração Penitenciária tornou-se nestes 100 dias, mais operacional, com a presença da polícia nas ruas. Só em sete operações policiais, quase 300 pessoas foram presas. Em 100 dias, foram apreendidas quase 10 toneladas de drogas.
O Paraná criou uma força tarefa para o combate às quadrilhas que explodem caixas eletrônicos. Houve prisões em todo o estado. Em abril, a polícia prendeu uma das principais organizações criminosas. No interior, as ações contra o tráfico de drogas foram intensificadas.
Foi criado um Centro Integrado de Inteligência Policial, em parceria com policiais de outros estados, para monitoramento das ações criminosas, a partir de Foz do Iguaçu. Cerca de 30 cidades da região oeste do Paraná receberam mais de 100 novas viaturas.
O governador assinou a ordem de serviço para a construção das primeiras delegacias-cidadãs do Paraná, em Pinhais e Fazenda Rio Grande, na Região Metropolitana de Curitiba. Também foi anunciada a criação da delegacia-cidadã de Matinhos, no Litoral do Estado. Foi autorizada a criação da Delegacia da Mulher de Cianorte, no noroeste do Paraná, e de Francisco Beltrão, no sudoeste do Estado.
E durante a Operação Verão, Richa entregou a Base Náutica de Busca e Salvamento do Corpo de Bombeiros de Guaratuba. A estrutura teve investimento de R$ 1,1 milhão, abriga uma equipe de resgate 24 horas.

Um comentário em “100 dias – Paraná corta gastos e mantém avanços em educação saúde, segurança

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: