A derrocada do PT

do Fernando Tupan

O PT tem tudo para seguir os passos do PFL (atual DEM). Após registrar o recorde de deputados federais eleitos (105 em 1998), o antigo pefelê elegeu 21 deputados em 2014, ou seja, encolheu 80% desde os tempos de poder. Há dois anos fora do governo, o PT segue a mesma trilha: dos 91 deputados em 2002, na eleição de Lula, caiu para 68 na reeleição de Dilma, e com Lula fora da disputa e talvez preso por corrupção, as perspectivas para 2018 são desanimadoras.

6 comentários em “A derrocada do PT

  • 21/02/2018, 11:42 em 11:42
    Permalink

    Mas o golpe foi dado para acabar com o PT mesmo. Quem perde é o trabalhador. A elite “democrática” só aceita partidos de esquerda enquanto sobreviverem num gueto bem definido. Por isso o Psol, o PSTU e o PCdoB, por exemplo, não incomodam ninguém. Mas se crescerem, enfrentarão o mesmo que o PT está enfrentando. Espera-se que as atuais dificuldades do PT tenham um caráter pedagógico para o próprio PT e para os partidos de esquerda em geral. E também para o trabalhador. Uma hora ele vai aprender que não adianta votar nos políticos “celebridades” porque, lá na frente, vão tomar medidas contra seus próprios eleitores. Isso é velho pra caralho…

    Resposta
  • 21/02/2018, 14:49 em 14:49
    Permalink

    O pessoal da Direita anda bastante preocupado com o PT. Tanto é verdade que desejam excluir Lula da disputa, no tapetão do Judiciário. Porque se LULA concorrer, ganha. Quem está sem candidatos é a direita, Sr. Paçoca.

    Resposta
    • 21/02/2018, 23:37 em 23:37
      Permalink

      Tapetão judiciário??? A síndrome de estocolmo chegou forte ai hein

      Resposta
  • 21/02/2018, 17:59 em 17:59
    Permalink

    Acho que mesmo se a candidatura dele não for indeferida, acho que o Lula ainda vai fazer um último teatrinho dizendo que vai “tolerar” a decisão da justiça e, “para o bem e a estabilidade do Brasil”, vai desistir e indicar um sucessor. Provavelmente o Haddad.

    Quanto à câmara e ao senado, tem uma galera do PT que já abandonou o barco e vai tentar concorrer pelo Rede e alguns outros partidos novos ou que mudaram de nome, talvez alguns colem. Fora as figuras tipo o Requião, que é petista até a medula mas prefere ficar no PMDB pelo suporte que tem e a legenda ser menos controversa.

    PT ainda vai sobreviver, pequeno, principalmente pela força que tem em alguns antros como Maricá-RJ. Talvez eleja um ou outro governador no nordeste, ou então no Rio Grande do Sul.

    Mas de qualquer forma, será benéfico. Vão voltar para o papel do qual nunca deveriam ter saído, aquela minoria barulhenta que vota contra tudo só pra zoar o barraco e continuar com aquele discurso da Guerra Fria, “os burgueses”, “os capitalistas”, “o proletário” etc. etc.

    Resposta
  • 21/02/2018, 18:40 em 18:40
    Permalink

    “Goilpe para acabar com o PT”? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Uma vez petralha, sempre petralha: não enxerga a quantidade de crimes praticada por esse partido que se comporta como organização criminosa!

    Resposta
    • 21/02/2018, 22:22 em 22:22
      Permalink

      Totonho, é melhor para com essa acusação barata de que o PT se comporta como organização criminosa. Todo mundo sabe as conquistas econômicas e sociais no governo petista. Nem os mais tolos conseguem esconder os fatos positivos nos governos Lula e Dilma e que podem ser provados através de estatísticas confiáveis e órgãos governamentais e privados. Mas a sua constatação de que o PT é osso duro de roer, isso é verdade! Antes do povo escorraçar os generais do Alvorada, houve uma tentativa de acabar com o PT: o regime militar, na primeira eleição da qual o PT participou, para ferrar o PT, às vésperas da eleição criou o voto vinculado (Se você não sabe do que estou falando, estude História.). Não adiantou. O PT está aí até hoje. Não será um procurador xiita ou um juiz tucano que vão acabar com o PT. Nem com tapetão para ajudar a quadrilha instalada no governo ou os fascistas que namoram esse governo corrupto. Sorry!!!!

      Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: