Na bancarrota, governo diz que vai eliminar 10 ministérios

Na época dos governos militares era comum incluírem no Campeonato Brasileiro de Futebol times de estados e cidades sem qualquer expressão no esporte para “alegrar” a galera. Houve anos em que o campeonato tinha mais de 80 times participantes.

Nos últimos anos algo parecido vinha acontecendo. Partidos políticos reclamavam de pouca participação no governo, então, criava-se novos ministérios. Temos hoje 39. Nenhum país desenvolvido tem tantos.

 

A maior potência mundial, os Estados Unidos, têm 15 ministérios, menos da metade desta nossa terra brasilis.

Bom, diante da bancarrota que o País se meteu, a presidente Dilma Rousseff autorizou cortar 10 de seus 39 ministérios até setembro, além de reduzir o número de secretarias e cargos comissionados da União, conforme anunciou nesta segunda-feira o ministro Nelson Barbosa (Planejamento). 

Mesmo assim o número supera em muito o do vizinho Chile, que tem 20 ministérios.

O Brasil tem um ministério da Pesca – não deveria ter também um da Pecuária?, um da Avicultura?. Tem ainda o Ministério da Agricultura e outro do Desenvolvimento Agrário.  É um circo.

Se o corte for realmente sério, haverá ranger de dentes na base aliada. Serão centenas, senão milhares, de cargos que irão para o espaço. É o que se espera de um governo que precisa arrumar a casa.

 

5 comentários em “Na bancarrota, governo diz que vai eliminar 10 ministérios

  • 24/08/2015, 16:29 em 16:29
    Permalink

    Mudarão as tetas de lugar, apenas. Vão fundir alguns ministérios, demover alguns ministérios a secretarias, tirar o status de ministérios de outras secretarias, e assim por diante.

    O máximo que vai acontecer em matéria de “enxugar” a máquina vão ser alguns aspones sendo dispensados.

    Por coincidência, o anúncio de “cortes” acontece dias depois da imprensa alemã afirmar que se o Brasil tivesse apenas mias um ministério, estaria formada a távola de Ali Babá e os 40 ladrões.

    Resposta
  • 24/08/2015, 18:34 em 18:34
    Permalink

    eu estou fudido mas minha alegria e ver sua cara de espanto.

    Resposta
  • 24/08/2015, 21:10 em 21:10
    Permalink

    Se a presidente fizesse como o Beto Richa (tarifaço e impostaço a rodo), já tinha resolvido os problemas de caixa. E poderia ainda melhorar o caixa. Se ela parasse de complementar a aposentadoria com dinheiro da conta corrente, estaria economizando uma enormidade. E se metesse um imposto legal sobre as grandes heranças, o dinheiro ia sair pelo ladrão. Para os alunos das universidades federais, mensalidade conforme a renda familiar. E no SUS também. Tem grana? Então paga o valor da consulta e o custo da internação. Fácil não? Solução desse tipo é o que não falta. Mas o caminho para a presidente continuar governando democraticamente e seguindo a constituição é o mais difícil. Fácil é só pra quem critica!

    Resposta
    • 24/08/2015, 23:33 em 23:33
      Permalink

      O governo poderia dobrar a nossa já imensa carga tributária junto com o tamanho dos propinodutos que mesmo assim faltaria dinheiro para comprar tantos aliados no congresso, no senado e nos órgãos fiscalizadores.

      Mas ei, a Miss Mandioca Sapiens foi eleita democraticamente e todas as doações são legais e devidamente declaradas, então acho que não posso falar nada.

      Resposta
  • 24/08/2015, 21:15 em 21:15
    Permalink

    E esse negócio de muitas secretarias e muitos ministérios é coisa de nossa administração pública. O PR, por exemplo, tem 17 secretarias e 3 assessorias com status de secretaria que servem, inclusive, para proteger parceirão na mira da Justiça. São Paulo tem 25 secretarias. Politicamente a presidente reduzir os ministérios vai gerar um osso duro de roer. Será que os tucanos Alckmin e Beto fariam o mesmo em seus estados?

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: