Negociação no Shopping

do Angelo Rigon

Maringá é citada várias vezes na decisão do juízo da 14ª Vara Federal de Curitiba na Operação Fraca. Além de Daniel Gonçalves Filho, apontando como o chefe da quadrilha, aparece Brandízio Dario Junior, fiscal federal agropecuário, chefe da regional do Ministério da Agricultura em Maringá.
Brandízio cumpre prisão temporária.

Fiscais e empresários reuniram-se no Shopping Catuaí para, supostamente, tratar do esquema de corrupção, como aconteceu em setembro do ano passado. A BR Organ Fertilizantes, de Ângulo, micro-região de Maringá, também é citada no despacho. Além de Brandízio, no encontro estavam presentes Heuler Iuri Martins, Gil Bueno e o chefe da Unidade Técnica Regional de Agricultura de Londrina, Juarez José Santana, também acusado de ter um patrimônio incompatível com a função e de chefiar a quadrilha em Londrina. “Possui, segundo as investigações, nada menos do que duas franquias da lanchonete Subway – obviamente registrada em nome de parentes próximos. Não fossem as investigações policiais haveria de ser considerado um verdadeiro fenômeno na arte de bem administrar o salário recebido como servidor público”, segundo o despacho.

2 thoughts on “Negociação no Shopping

  • 20/03/2017, 14:12 em 14:12
    Permalink

    E as máscaras vão caindo… A Bancada Ruralista aplaudia a PF quando ela ferrava o PT naqueles espetáculos midiáticos de dois anos atrás. E a Bancada Ruralista ajudou a levar Temer à presidência. Agora a Bancada Ruralista critica a PF e apoia – logo quem! – o ministro da Justiça, o Serraglio, enroladão na operação Carne Fraca. Quá! Quá! Quá!

    Resposta
  • 20/03/2017, 14:28 em 14:28
    Permalink

    este vagabundos pareçem que brotam em londrina, esquema do falecido jj e do pesutão.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: