Usuário do transporte coletivo de Londrina, prepare o bolso!

O prefeito de Londrina foi o entrevistado da rádio Paiquerê Am, no sábado. E entre outros assuntos ele foi questionado sobre a polêmica da tarifa do transporte coletivo.

Ocorre que as empresas que operam o transporte coletivo na cidade ingressaram com uma ação na Justiça pedindo que fosse colocado na tarifa 7,5% referentes ao lucro da empresa. Segundo as empresas, o porcentual, que está no contrato, deixou de ser pago em 2004.

A prefeitura foi condenada, em primeiro grau, recalcular a tarifa, colocar o porcentual de lucro e pagar os valores retroativos a 2004. Até sexta-feira será anunciada a nova tarifa que pode chegar a R$ 3,25.

Sem juros e correção, a prefeitura estaria devendo R$ 30 milhões às empresas. Com a correção do período o valor salta para quase R$ 90 milhões.

, ,

O bom humor de Kireeff, segundo Oscar Bordin

Adoro o bom humor do Prefeito Alexandre Kireeff , ele quer duplicar a PR 445 até Mauá da Serra, enquanto isto o londrinense leva 30 minutos para atravessar um trecho de 5 Km na Via Expressa. Quer dizer: vai ser mais rápido eu ir a Tamarana do que cruzar uma avenida na minha cidade.

Oscar Alberto Bordin, empresário

, ,

Reunidos em Curitiba, servidores decidem manter a greve

Do Bem Paraná

Os professores e funcionários da rede estadual de ensino do Paraná decidiram manter a greve da categoria, que completa 24 dias nesta quarta-feira (4). Reunidos no Estadio da Vila Capanema, eles iniciaram a votação por volta das 9h30 e foi concluída, por volta das 11 horas, quando foram finalizadas as discussões da pauta. Cerca de 20 mil servidores participaram da votação, de acordo com as informações da APP- Sindicato, que representa a categoria. “Nossa greve vai continuar por tempo indeterminado por causa do impasse como governo, que fechou as portas para a negociação”, afirmou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Paraná (APP-Sindicato), Hermes Leão. (leia mais)

, , ,

Mensalão teria origem em Londrina

Da Gazeta do Povo
Segundo um ex-funcionário de Janene ouvido pela reportagem, que pediu para não ser identificado, o modo do ex-deputado operar no Congresso já era praticado em Londrina. Em 1997, no 3.º mandato de Belinati na prefeitura, Janene teria sido responsável por fazer um acordo com os vereadores para que o prefeito tivesse domínio da maioria da Casa. A “mesada”, segundo o ex-funcionário, era o equivalente a um salário de vereador. À época do mensalão, o caso chegou a ser publicado na imprensa . Belinati foi procurado para comentar o caso, mas não quis falar com a reportagem. (Leia mais)

, , , , ,

Ele diz que não é político….

O prefeito de Londrina, Alexandre Kireeff diz que não é político, mas o seu chefe de gabinete, Márcio Stamm esteve ontem na Câmara de Vereadores participando ativamente das articulações para a eleição da nova Mesa Diretiva da Casa.

E o resultado, para o Executivo, foi até melhor do que se imaginava.

Veja:

O novo presidente da Câmara é o vereador Fábio Testa (PPS), ainda hoje líder do prefeito Alexandre Kireeff (PSD) na Casa. A vice-presidente eleita é Elza Correa (PMDB), ex-líder de Kireeff; o primeiro Secretário é Roque Neto (PR), que faz parte da bancada aliada; Douglas Pereira (PTB), a pedido do deputado Alexa Canziani, também é aliado. E Vilson Bitencourt (PSL) nunca fez oposição.

Além disso, o prefeito Kireeff pode escolher um novo líder entre os que não fazem parte da Mesa. Ou seja, se nada mudar, em qualquer votação de interesse da prefeitura, teoricamente, o prefeito disporá, de cara, de seis votos.

Márcio Stamm, o articulador, também deixou claro aos vereadores que, a partir de 2015, será aberto um canal político mais caridoso para atender os pleitos dos vereadores.

, , ,

Porque não os filantrópicos do Norte do Paraná?

A senadora Gleisi Hoffmann que foi secretária de Gestão da prefeitura de Londrina na gestão de Nedson Micheletti, ao lado de seu marido na secretaria de Finanças, não destinou no orçamento de 2015 nenhuma emenda parlamentar para hospitais filantrópicos daqui ou da região. Quem analisa as emendas encontra para Sarandi, Cianorte, Ponta Grossa, Curitiba, Umuarama, menos para o norte do Paraná.

Magoou senadora com a baixa votação aqui?

, , , ,

André Vargas, aguardando o que vem por aí

E ontem à noite o ex-deputado federal André Vargas (sem partido) estava no Shopping Catuai, em Londrina, com a família tomando sorvete, com certeza para esfriar a cabeça e aguardar o que vem por aí.

, ,

Londrina ou Maringá?

No primeiro semestre deste ano a Mais Comunicação iniciou uma campanha em Londrina e região para fomentar a discussão sobre a importância da representatividade política.

A campanha ganhou corpo e apoio de algumas entidades da cidade como o Sindimetal, Acil, Sindihotéis, Sinduscon, Convention Bureau entre outros.

A defesa era de que, com maior e melhor representatividade política é possível acelerar o crescimento de uma região. Só para refrescar a memória, na última eleição, Londrina elegeu apenas um deputado estadual – Luiz Eduardo Cheida (PMDB), não reeleito – e depois acabou conseguindo mais um, Tercílio Turini (PPS), que assumiu com a eleição de um deputado que concorrera a prefeitura de Guarapuava.

Pois bem. O assunto foi muito debatido, com prós e contras, e três estaduais, com base na região metropolitana, foram eleitos para a próxima legislatura: Tercilio Turini (PPS), Cobra (PSC) e Tiago Amaral (PSB).

Melhorou, mas está longe do ideal.

Como comparativo veja os eleitos por Maringá, conforme publicou o blogueiro Fábio Campana:
A partir do ano que vem, a cidade contará com Cida Borghetti no Palácio Iguaçu (vice-governadora); quatro deputados federais Ênio Verri, Luiz Nishimori, Edmar Arruda e Ricardo Barros e mais quatro estaduais Evandro Jr, Maria Victória, Dr. Batista e Wilson Quinteiro (primeiro suplente que deve assumir). Além de Silvio Barros,  nome quase certo no novo secretariado de Beto Richa.

Agora, imagine qual cidade conseguirá, proporcionalmente, mas atenção dos governos federal e estadual: Londrina ou Maringá?

, ,

Aí galera, pode ter greve na UEL

Hoje às 14h30, no anfiteatro do Centro de Ciências Humanas, professores da Universidade Estadual de Londrina (UEL), participam de uma assembleia sobre indicativo de greve. A convocação é do Sindiprol/Aduel. Os docentes vão debater uma lei de reajuste de 7,14% sobre salários em outubro.

A última assembleia realizada no dia 17 de setembro aprovou indicativo de greve para o dia 30.  Na ocasião, os professores ressaltaram a necessidade de se manterem mobilizados e preparados para um possível calote de Beto Richa (PSDB), devido ao histórico de mau pagador do governador.

, , ,