Oeste do Estado se mobiliza contra a renovação do pedágio

A região Oeste do Paraná, em especial Cascavel, Toledo, e cidades vizinhas lançam hoje às 16hs, uma campanha contra a renovação da concessão do pedágio às atuais operadoras.

O fato é que a herança do Pedágio deixada pelo governo Jaime Lerner e mantida nos governos seguintes – apesar dos arrotos do ex-governador Roberto Requião que usou o tema para se eleger e não cumpriu, mais uma vez, o prometido – espolia as empresas e o contribuinte paranaense.

Conforme informações de O Paraná, a cobrança do pedágio custa R$ 100 milhões por ano ao agronegócio do Oeste do Paraná, uma das regiões de maior produção agropecuária do País. Metade desse valor, R$ 50 milhões, sai do bolso de produtores rurais filiados às cooperativas que respondem por metade do PIB do Oeste, que em 2016 deverá ficar em R$ 35 bilhões. O montante que o agronegócio deixa nas cancelas é considerado elevado por vários fatores. Entre eles está a tímida contrapartida em obras, já que grande parte do percurso é feito em pista simples. Para um caminhão de sete eixos, que transporta 36 toneladas, o custo com a tarifa para percurso entre Foz do Iguaçu e o Porto de Paranaguá é de R$ 720.

Um comentário em “Oeste do Estado se mobiliza contra a renovação do pedágio

  • 20/02/2016, 07:58 em 07:58
    Permalink

    Oeste conseguiu duplicar a rodovia entre Foz e Cascavel antes de Londrina a São Paulo ou Londrina a Curitiba.
    Parabéns a Jorge Guirado

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: